quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Sepultada nessa sexta-feira uma das figuras mais admiráveis de Itaporanga

Depois de 12 anos lutando contra um câncer...


Depois de 12 anos lutando contra um câncer, Maria Nóbrega Aguiar de Sá, popularmente conhecida como Maria de Fernão (foto), faleceu na quinta-feira, 7, em Itaporanga, onde residia há mais de meio século.

Maria de Fernão dedicou sua vida à causa dos pobres: dirigiu o Clube de Mães de Itaporanga, onde ensinou a pintura, o bordado e a arte culinária para centenas de mulheres, muitas das quais encontraram nesses aprendizados um meio de vida.

Como integrante do Lions Clube local, realizou inúmeras campanhas em benefício de pessoas desabrigadas e carentes.

Foi membro também do Centro Espírita Jesus de Nazareth, onde realizou, até o fim da vida, eventos destinados a crianças pobres. Percorria as ruas e o comércio da cidade em busca de doações de brinquedos para o natal das crianças carentes.

Alimentava a alegria da criançada e matava a fome das famílias pobres com a sopa que distribuía no centro espírita.

A solidariedade, a caridade e o amor ao próximo foram algumas das grandes virtudes de Maria de Fernão, que também era uma artista plástica de mão cheia: decorou centenas de casamentos em Itaporanga, sem contar as festas de debutantes e outros eventos festivos.

Maria de Fernão foi sepultada no final da tarde dessa sexta-feira, 8, no cemitério local. Ela tinha 76 anos e deixou seis filhos, além de netos e bisnetos.

Natural de Patos, veio para Itaporanga na companhia do marido, o geógrafo e artista plástico Fernão Dias Sá (também já falecido), designado para assumir o posto local do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A próxima edição da Folha trará uma reportagem especial sobre a vida e a obra social de Maria de Fernão.

Publicado pelo Folha do Vale em 09-10-2010

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More